Blog

05 dicas sobre como usar cortinas na decoração

Além de serem opções decorativas importantes, as cortinas controlam a luminosidade e dão privacidade aos ambientes

Cortinas são elementos decorativos cada vez mais frequentes em projetos, pois aliam beleza e elegância à praticidade de adequar a iluminação aos ambientes. Servem para esconder e dar privacidade a cômodos com visão para rua ou outros imóveis e podem funcionar também como divisórias, setorizando espaços. Todas essas características fazem das cortinas produtos extremamente funcionais, garantindo conforto e beleza na decoração.

Se você está com dúvidas sobre como utilizar cortinas na decoração do seu espaço, listamos abaixo 11 dicas para você aplicar em qualquer ambiente e se inspirar.

05 dicas sobre como utilizar cortinas na decoração:

Planejar e conhecer o espaço é o primeiro passo na hora de saber qual a melhor cortina para  o seu ambiente. Fique atento às dicas para escolher o modelo que melhor se adapte às necessidades do seu projeto de interiores e da sua janela:

1. Saiba o tamanho e o formato da sua janela: isso interferirá no modelo de cortina a ser escolhido. Alguns especialistas recomendam que para janelas com espaçamento maior que 1m entre as aberturas, justifica-se o uso de cortinas individuais. Nestes casos, as cortinas devem ser maiores que a janela, entre 10 e 20 cm, para todos os lados. Para janelas com espaçamentos menores, podem ser usadas cortinas únicas. No entanto, há projetos em que mesmo com espaçamentos menores se utilizam várias peças de cortinas, com fins decorativos.

Cortinas Luminette Hunter Douglas

2. Tamanho da cortina: O ideal é que se use cortinas longas, do teto até o chão, ideais para quartos, salas de estar e de jantar. Cortinas curtas são ideais para janelas que vão acima de algum móvel, balcões ou bancadas, como em cozinhas. Evite que cortinas desçam do teto até a altura da janela; neste caso é melhor que a cortina seja longa ou que ela comece pouco acima da janela.

Cortina Rolô Hunter Douglas

3. Cuidado com a barra: Cortinas longas dão imponência e amplitude, mas há certos cuidados a tomar. Meça a altura da sua cortina de acordo com a necessidade do seu espaço, cuidando para que a barra não “arraste” demais, principalmente em espaços de muita movimentação como quartos, salas de estar e de jantar. O ideal é que a barra seja maior em até 4cm, para evitar acúmulo de poeira e melhorar a movimentação.

Cortinas de Tecido – Projeto: Leife Cantuária e Gabriela Meireles

4. Quando usar persianas ou cortinas romanas: Persianas ou cortinas romanas são modelos práticos e os mais adequados para ambientes em que as janelas ficam próximas a algum móvel, como mesas ou cadeiras, pois tem o tamanho do vão da janela e não voam sobre os móveis. Além disso, são fáceis de abrir e fechar, ideais para quem quer mais praticidade.

Cortina Romana Hunter Douglas

05. Como usar blackout (blecaute): Se além de decorar você procura bloquear a luz em um ambiente, o ideal é usar cortinas blackout em ambientes como quartos e salas muito iluminados. Para varandas o ideal é que se usem toldos, por serem mais resistentes. As cortinas blackout podem ser estruturadas, como por exemplo as cortinas rolô, painel ou as convencionais com tecido mais grosso. Se forem compostas (formadas por duas peças), devem ir atrás da cortina principal. Neste caso, é ideal que as medições sejam feitas levando em conta a peça da frente, pensando na movimentação.

Cortinas Ultimate Screen

Gostou de saber mais informações sobre como utilizar cortinas na decoração? Elas são práticas, versáteis e tem a capacidade de mudar o visual de um ambiente. Quer saber mais dicas? Deixe um comentário! Se quiser saber mais sobre modelos, não se esqueça de ver as cortinas Hunter Douglas e as cortinas de tecido disponíveis na Revestic!